São Paulo busca apoio para manter megashows no Morumbi

O São Paulo Futebol Clube tem mantido contatos quase diários com secretarias municipais para obter apoio da prefeitura e viabilizar shows no estádio do Morumbi.

Em julho, o Ministério Público estadual enviou ao Contru (Departamento de Controle do Uso de Imóveis, órgão da prefeitura) uma recomendação para que o estádio não receba alvarás para shows.

O pedido não tem força judicial. Se não for acatado pelo Contru, o MP ainda pode entrar com ações contra o clube e a prefeitura.

Se acatado, ameaça shows de Justin Bieber, Pearl Jam e Eric Clapton, agendados para o local nos meses de outubro e novembro.

Segundo o promotor Gilberto Leme Marcos Garcia, autor da recomendação, o São Paulo descumpriu por 12 vezes o Termo de Ajustamento de Conduta assinado em 2009, com o compromisso de terminar shows musicais no local antes das 22h.

Cada violação do termo obriga o clube a pagar multa de R$ 1.000. Em cada dia de show, o São Paulo fatura até R$ 1 milhão pelo aluguel.

O Contru ainda não se manifestou. Sua assessoria informa que o pedido do MP está sendo analisado.

Procurados, a prefeitura e o clube não quiseram comentar o assunto.

Os shows mais próximos são os do cantor Justin Bieber, marcados para os dias 8 e 9 de outubro. O pedido de alvará, que precisa ter antecedência de um mês, foi feito. Em seguida, haverá apresentação de documentação.

No Morumbi, comenta-se que quanto mais tempo demorar a decisão do Contru, maior a chance de aprovação, porque a prefeitura consideraria efeitos de um cancelamento tão em cima da hora.

As apresentações de Bieber, do guitarrista Eric Clapton (12/10) e do Pearl Jam (dias 3 e 4/11) estão com quase todos ingressos vendidos, cerca de 80 mil por noite.

Segundo o promotor Marcos Garcia, estudos do MP mostram que shows realizados em dias de semana podem afetar aproximadamente 2 milhões de pessoas.

Para ele, “o São Paulo aluga o estádio, as empresas organizam os shows, aí vendem os ingressos todos para depois entrarem na prefeitura para pedir a licença. Acabam colocando, de certa forma, o poder público como refém”.



A empresa XYZ Live, que traz Bieber e Clapton, espera decisão do Contru para se posicionar. A T4F, responsável pelas apresentações do Pearl Jam, disse em nota que, no que depender dela, “não haverá qualquer alteração dos shows programados”.

Sem o estádio do São Paulo, a cidade não tem local de apresentações que receba mais de 30 mil pessoas.

O estádio do Pacaembu está proibido de receber shows desde novembro de 2005.

O Parque Antarctica, estádio do Palmeiras, foi opção para plateias de 35 mil espectadores até ser fechado para reforma. Só ficará pronto em 2014, como o novo estádio do Corinthians em Itaquera.

Assim, os maiores eventos musicais no calendário paulistano teriam como opção a Arena Anhembi e a Chácara do Jockey, que, dependendo da configuração de palco e plateia, podem abrigar entre 15 mil e 30 mil pessoas.

A Arena Anhembi tem na agenda deste mês shows da cantora Rihanna (no próximo sábado) e do grupo Red Hot Chili Peppers (dia 21). Katy Perry canta na Chácara do Jockey no dia 25, e a banda System of a Down faz show lá em 1º de outubro.

Fonte: Folha.com

São Paulo busca apoio para manter megashows no Morumbi
4.8 (96%) 60 votos




2 Comentários

  1. Ale 4/10/2011
    • admin 5/10/2011

Deixe seu comentário